Alerta: queda de cabelo nas crianças

Quando os cabelos das crianças começam a cair mais do que o normal, atenção! É hora de procurar ajuda. Esse alerta é da dermatologista pediátrica do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Maria Bandeira de Melo Paiva Seize. “Muitas podem ser as causas que levam à alopecia (queda de cabelo) em crianças, como déficits nutricionais, alterações hormonais, medicamentos, infecção fúngica e doenças autoimunes.”

A queda causada por déficits nutricionais, em especial a anemia, é uma das mais frequentes em crianças. Nesses casos, os fios caem de forma difusa, além de ficarem mais finos e opacos.

No caso da infecção fúngica, a queda é mais localizada e acontece, principalmente, em crianças com idade escolar. “Esse tipo de alopecia se dá através da contaminação por fungos, que podem estar presentes no solo, em pelos de animais ou em pessoas contaminadas. Quem tem animal em casa, por exemplo, deve estar sempre atento”, indica.

As quedas de cabelos causadas por alterações autoimunes são mais raras. A alopecia areata é uma delas. O problema pode ser localizado ou generalizado, acometendo todo o couro cabeludo e até mesmo outras áreas do corpo.

O tratamento da alopecia na infância varia de acordo com a causa e, por isso, é importante fazer o diagnóstico precoce. As quedas causadas por alteração nutricional, por exemplo, devem ser tratadas, inicialmente, com a reposição da vitamina ou nutriente deficiente.

No caso das quedas provocadas por anemia, a reposição de ferro é suficiente para reverter o quadro. Já a infecção fúngica deve ser tratada com medicação antifúngica até a melhora do quadro.

Seja qual for a causa, a dermatologista reforça a atenção para os casos de queda de cabelos de forma excessiva. “Ao menor sinal, os pacientes de qualquer faixa etária devem procurar um profissional especialista para o diagnóstico e tratamento adequados”.

Para evitar casos de calvície precoce, é importante que os pais fiquem atentos à alimentação das crianças, além de usar shampoos adequados para cada faixa etária e manter em dia as consultas com o pediatra.

No Comments

Leave a Comment