O perigo de crianças não tomarem café da manhã

A maioria das pessoas está cansada de saber que o café da manhã é a refeição mais importante do dia. Ainda assim, 46% das crianças entre 4 e 6 anos não tomam café da manhã. É o que aponta uma pesquisa encomendada pela Mead Johnson Nutrition.

De acordo com o estudo, 67% das crianças que pulam a primeira refeição do dia não gostam de comer pela manhã ou afirmam acordar sem fome. Outras 9% acordam muito perto da hora do almoço e não desejam comer. Já 3% das crianças não tomam café porque comem outras coisas em porções pequenas (como iogurtes, biscoitos e barras de cereais, por exemplo).

Segundo a nutricionista Andrea Andrade, da RG Nutri Consultoria Nutricional, os pais devem incentivar o café da manhã, fazendo com que seja parte da rotina das crianças, mesmo que seja feito de maneira gradual.

“O café da manhã é a primeira refeição do dia e, assim, é responsável por quebrar o jejum feito durante a noite. Sua ingestão frequente está relacionada com o controle de peso, melhor atenção, memória e desempenho cognitivo, controle dos níveis de açúcar no sangue e pode contribuir, até mesmo, com o menor consumo calórico ao longo do dia e menor risco de deficiência de cálcio. As crianças devem realizar a primeira refeição do dia para se beneficiarem deste hábito. Afinal, seu consumo está associado à melhor qualidade da dieta e melhor desempenho escolar”.

Andrea ressalta que não existe um horário ideal para realizar o café da manhã, mas é importante que as refeições aconteçam diariamente no mesmo horário. “Como a primeira refeição tem a função de quebrar o jejum noturno, não deve ser feita horas depois do despertar. De duas a três horas depois do café da manhã é o momento de uma segunda refeição: almoço ou lanche intermediário, caso o almoço for demorar mais que este tempo. No entanto, é preciso respeitar a individualidade de cada criança e não forçá-la a comer, enquanto ainda não demonstrar fome”.

 

Não pode faltar na sua mesa 

– Cereais: são importantes fontes de carboidratos, vitaminas do complexo B e fibras, contribuindo para as crianças terem energia e um intestino equilibrado, com funcionamento adequado e células saudáveis. Alguns exemplos são os pães, biscoitos, torradas, tapioca, bolos e cereais matinais;

– Leites e derivados: contribuem com o consumo de minerais, como cálcio, fósforo, potássio e proteínas de boa qualidade, que são essenciais para o equilíbrio e formação das estruturas do corpo, como ossos e músculos. São os queijos, leite, iogurte e compostos lácteos;

– Frutas: importantes para o consumo de fibras e vitaminas C e A, as quais participam de diversas funções do corpo, como defesa e visão. Elas podem ser consumidas frescas, secas ou em forma de suco natural.

Alimentos ricos em açúcar e gorduras devem ser evitados, pois seu consumo excessivo está associado ao ganho de peso.

No Comments

Leave a Comment