Cólica menstrual ou endometriose?

Todos os meses, algumas mulheres sofrem com cólicas menstruais. Às vezes são tão fortes que chegam a incapacitar tarefas do dia-a-dia como trabalhar e estudar. Porém, o que poucas mulheres sabem é que cólicas de intensidade progressiva e refratária a analgésicos comuns podem ser um alerta para um possível diagnóstico de endometriose.

A endometriose causa dores e infertilidade. “Além das cólicas menstruais progressivas e incapacitantes, as mulheres podem apresentar dores pélvica fora do período menstrual, dor durante a relação sexual, dor para evacuar ou urinar no período menstrual ou até sangramento nas fezes ou urina durante este período”, explica Dr. Rogério A. Gomes, ginecologista do Hospital Sírio-Libanês.

No caso das adolescentes com suspeita clínica de endometriose ocorre uma limitação em relação aos exames de imagem que investigam a doença. Atualmente, o exame mais preciso para diagnosticar a doença é o ultrassom com preparo intestinal.

Caso a adolescente ainda não teve sua primeira relação sexual, o exame de escolha é a Ressonância Magnética de Pelve.

Ao constatar a endometriose na paciente, o tipo de tratamento a ser realizado dependerá de alguns fatores como idade, sintomas e se a paciente tem filhos ou não.

“Geralmente quando a paciente apresenta infertilidade e não tem dor, partimos para as técnicas de reprodução assistida. Quando ocorre o inverso, ou seja, a paciente já possui filhos mas apresenta dor, indica-se o tratamento com medicamentos e na falha deste está indicado a cirurgia”, explica o ginecologista.

No Comments

Leave a Comment