Tudo sobre a vacina contra a dengue

Sabia que somente no ano passado foram registrados mais de 1,6 milhões de casos de dengue no Brasil, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS)? O Aedes aegypti, mosquito que transmite a doença, também é responsável pela transmissão do zika vírus, a febre amarela e a chikungunya. Vale lembrar que as epidemias são fortes em períodos quentes – verão – e durante ou após períodos chuvosos. Então nada de descuidar do quintal e de locais onde há possibilidade de criadouro para o mosquito transmissor da dengue.

Outra forma de prevenir a doença é através da vacina contra a dengue, criada recentemente, mas que ainda traz muitas dúvidas da população. A Dra. Priscila Zanotti Stagliorio, pediatra do Hospital São Camilo esclarece algumas questões sobre o assunto.

 

Vacinação:

Conhecida como “Dengvaxia”, a vacina contra o vírus da dengue é produzida pelo laboratório francês Sanofi Pasteur e é uma imunização recombinante tetravalente para os quatro sorotipos existentes da doença. Ainda não tem garantia de 100% de eficácia, mas ajuda a reduzir significativamente as chances de contaminação. Pode ser aplicada em pacientes de 9 anos a 45 anos, em três doses subcutâneas com intervalo de seis meses entre elas.

 

Onde encontrar:

A vacina já é uma opção em muitas cidades brasileiras, porém, na rede privada – clínicas, laboratórios e hospitais. Até agora apenas o Estado do Paraná comprou 500 mil doses da vacina para distribuir nos postos de saúde de 30 cidades, que foram escolhidas por critérios técnicos e epidemiológicos. Segundo o Governo Federal, ainda não há previsão de quando será oferecido à população pelo Sistema Único de Saúde (SUS). É importante dizer, também, que ainda não existem estudos sobre a vacina para imunização de outras doenças transmitidas pelo Aëdes aegypti – zika vírus, febre amarela e chikungunya.

 

Efeitos colaterais da vacina:

Como toda vacina, a imunização pode provocar reações comuns como, por exemplo, febre, reação no local e não apresenta efeitos adversos graves.

 

Preço por dose:

O valor repassado para o consumidor final pode variar de um estabelecimento para outro. Portanto, é legal pesquisar antes.

 

Cuidados:

Mesmo com a disponibilidade de uma vacina para minimizar possíveis epidemias, a prevenção é ainda a maior arma contra o mosquito que transmite a doença. É fundamental manter os mesmos cuidados já praticados antes, tais como:

Manter a caixa d’água limpa e fechada

Remover folhas e galhos de calhas para evitar acúmulo de água

No Comments

Leave a Comment