A verdade sobre os hábitos do seu pet

Nesta quinta (25), estreia nos cinemas a animação “Pets – A Vida Secreta dos Bichos”. O filme vem fazendo tanto sucesso nos Estados Unidos que a Universal Pictures já anunciou que fará uma sequência do longa em 2018. A história se passa em Nova York, onde vive o cãozinho Max. Ele mora em um apartamento e passa o dia sozinho, já que sua dona sai para trabalhar. Para não ficar tão solitário, ela arruma outro cão para fazer companhia para Max, só que ele não gosta nem um pouco da novidade, afinal, ninguém quer perder o reinado, não é mesmo? O desenho também mostra outros hábitos de cães e gatos, como comer muito, mania de se coçar ou cheirar um ao outro. Atitudes comuns nos pets e quem tem cães e gatos sabe bem como é, não é mesmo?

 

Coçar é normal? – Todo cão e gato se coça, certo? Errado! Segundo a veterinária Fabiana Zerbini, da Virbac, as coceiras podem significar muitas coisas, principalmente que a pele do animalzinho está seca ou que ele está com alergia. “Ao se coçar, ele pode arranhar a pele e arrancar pelos. Com isso, a pele acaba ficando exposta e extremamente sensível, podendo resultar em infecções”, explica Fabiana. Para prevenir que os pets não sejam acometidos por essas coceiras desagradáveis, a veterinária recomenda hidratação da pele e controle de pulgas e carrapatos, entre outros cuidados.

 

Passear sempre – Muitos cães vivem em apartamento e passam boa parte do dia sozinhos, já que seus donos saem para trabalhar. Entretanto, é essencial levar seu pet para passear todos os dias. De acordo com o veterinário, Aldo Macellaro, tudo depende do comportamento do cão. Ou seja, se o cachorro for mais hiperativo, obviamente suas necessidades de sair serão maiores. “No geral, o ideal é que o animal passeie, pelo menos, duas vezes por dia, com duração de 30 minutos cada passeio” explica Macellaro. Essas atividades são recomendados para suprir a vontade que o cão tem de se socializar e gastar energia. O veterinário também explica que “deixar o cão sempre preso, mesmo quando há quintal em casa, pode ser prejudicial, pois aumenta chances de obesidade, depressão e dificulta a socialização com os demais cães ou pessoas”.

 

Seu cão late muito? – Já reparou que tem cães que latem sem parar ou por qualquer coisa? O latido é a forma natural como o cão se expressa e se comunica com o universo ao seu redor. Se o latido é muito intenso, descarte a possibilidade de qualquer problema de saúde. De acordo com o veterinário Aldo Macellaro, latidos ininterruptos podem apontar problemas de comportamento, provocados pela ansiedade ou como forma de recompensa para o animal. “Isso pode ser falta de atividade física, por exemplo. O primeiro fator é pensar se a família está tirando tempo para entreter o pet”, explica ele. Ações como sair com o cão, brincar com ele todos os dias podem amenizar o excesso de latido.

 

Comida fora de hora – O mecanismo de saciedade dos cães é diferente dos humanos, o que explica o fato deles serem capazes de ingerir uma grande quantidade de alimento de uma vez só. Além disso, pedir comida o tempo todo pode ser uma forma de chamar a atenção do dono, especialmente se ele tiver sido criado recebendo petiscos como recompensa. O ideal é não ceder ao apelo de seu pet e não oferecer comida fora de hora.

 

Solidão– Seu pet fica sozinho quando você vai trabalhar? Evite despedidas longas para não deixá-lo triste ou ansioso. Mantenha brinquedos em casa para que ele possa se entreter enquanto você estiver fora.

 

Ciúme – Arrumou outro pet e seu cão está morrendo de ciúme? A reação é perfeitamente normal nos primeiros dias, especialmente com aquelas raças que vivem mais dentro de casa. É importante o dono continuar dando atenção e carinho ao cão mais velho sempre em primeiro lugar, evitando assim que ele se sinta trocado pelo outro que acabou de chegar.

 

Xixi no lugar errado. “Esfregar o focinho do cão como punição é antiquado e totalmente ineficiente, pois o cão só consegue associar as coisas no exato momento em que elas acontecem. Isso não vai fazer com que o pet mude de atitude e sim que ele fique com traumas” explica Aldo Macellaro, que ressalta a importância da paciência para que o animal se acostume a fazer suas necessidades no lugar correto, e o tutor recompense este ato como um reforço positivo. O mercado dispõe de produtos que podem ser borrifados no jornal, e que podem ajudar neste processo de aprendizado.

 

 

 

No Comments

Leave a Comment