Tudo o que você precisa saber sobre a asma

Sabia que a asma atinge cerca de 10% da população brasileira? A asma é uma doença crônica e inflamatória, de causa alérgica, que leva a falta de ar, fadiga e uma sensação de chiado no peito. Quando não é tratada de forma adequada, pode provocar sérios impactos sobre a vida do paciente, tais como insônia, fadiga e diminuição do nível de atividades diárias, o que pode comprometer a ida à escola ou ao trabalho. De acordo com o pneumologista, Dr. José Roberto Megda Filho, um dos mitos mais comuns sobre a doença é o de que crises de falta de ar são naturais para quem tem asma. “Na verdade, quando tratada adequadamente, a asma pode ter seus sintomas controlados – o que confere uma melhor qualidade de vida e geralmente nenhum impacto na rotina do paciente, que pode até ser atleta, se quiser”, explica o médico.

 

Asma tem cura?

A asma é uma doença crônica e, como tal, não tem cura, mas pode ter seus sintomas controlados. “Alguns pacientes, seja por conta do tratamento, por não entrarem em contato com elementos que desencadeiam os sintomas, ou até mesmo, por perceberem muito pouco os seus sintomas, podem passar meses ou anos sem apresentar crises de falta de ar e, por isso, acreditam ter sido curados”. No entanto, estas pessoas continuam a ter asma e, se não fizerem o tratamento adequado, podem sentir limitações no seu dia a dia e até voltar a ter crises.

 

Pessoas com asma podem praticar exercícios físicos?

Ao contrário do que pensa grande parte da população, pacientes que fazem o tratamento adequado da asma não só podem praticar exercícios como podem vir a se tornar atletas, se quiser. Inclusive, os exercícios podem ser fortes aliados do tratamento, mas é muito importante que os pacientes sigam orientações médicas para a realização de atividades físicas de maior intensidade.

 

Asma e bronquite são doenças diferentes?

Enquanto a asma é uma doença crônica, de causa genética e alérgica e que geralmente é diagnosticada ainda na infância, a bronquite pode se manifestar de duas formas: aguda (geralmente provocada por um vírus e acompanhada de um quadro gripal, com duração de, em média, duas semanas) ou crônica (uma inflamação sem cura provocada, na maior parte dos casos, pelo fumo). “Um dos nomes para a asma é ‘asma brônquica’, o que leva algumas pessoas a confundirem a doença com a bronquite, que, ao entender dos pacientes, é uma doença mais inofensiva. Por isso, as diferenças entre as duas devem ser levadas em conta para garantir o melhor tratamento para o paciente”.

 

Fatores externos podem piorar o quadro da asma?

Verdade. Embora não seja causa da doença, a exposição aos chamados “alérgenos”, como ácaros, poluição ou fumaça de cigarro, por exemplo, deve ser evitada, pois pode desencadear crises de tosse seca e falta de ar nos pacientes, agravando o quadro da asma e podendo levar a consequências mais graves.

No Comments

Leave a Comment