Ler na gravidez ajuda no desenvolvimento do bebê

A partir da vigésima semana de gestação (ou quinto mês), o bebê passa a ouvir e ser estimulado pelos sons de fora da barriga. Para aproveitar esse contato, mães e pais podem começar a estreitar os laços e despertar na criança o prazer de escutar sua voz.

Para mostrar aos pais a importância da leitura durante a gravidez, o Leiturinha, clube de assinaturas de livros infantis do Brasil, explica como esse momento vai beneficiar pais e filhos.

 

A voz dos pais

No período intra-uterino, o bebê já reage à voz dos pais e isso deve ser aproveitado para intensificar a união – principalmente com o pai, que não tem uma ligação física literal com o filho dentro do útero. O importante é a cadência da voz durante a leitura, que acalma ao mesmo tempo em que estimula. Além disso, as tensões, que a mãe eventualmente sofre durante a gestação, podem ser passadas para o bebê, e ler ajuda a tranquilizá-lo.

 

Criar um hábito

No útero, o bebê é apenas ouvinte, mas sabe-se que acostumar a criança a ouvir os pais lendo – e reservar um tempo do dia para isso – é fundamental desde a gestação. É semelhante à música: não importa o entendimento da história, o essencial é criar um ritual. Assim, depois do nascimento, a criança sente a necessidade de continuar o hábito; ela própria pode manusear o livro, que nos primeiros anos serve para despertar a imaginação e a curiosidade.

No Comments

Leave a Comment